Prefeitura de Capivari fará a entrega de repelentes em regiões afetadas pela dengue

0
16
Prefeitura de Capivari fará a entrega de repelentes em regiões afetadas pela dengue
Foto: Prefeitura de Capivari

Ação é resultado da campanha Xô Dengue, desenvolvida no município desde 2016; Orientação é para evitar transtornos com o sorotipo 2 da dengue, que tende a provocar casos clinicamente mais graves da doença em pacientes anteriormente infectados com outros sorotipos

A prefeitura de Capivari, por meio da Secretaria da Saúde, fará a entrega de repelentes nas regiões que registraram casos de dengue nos últimos dias. Próximo das residências onde houveram as notificações, os moradores receberão o produto, em visitas dos agentes de saúde e de profissionais da prefeitura. São algumas residências dos bairros: Santo Antônio, Vila Fátima e Castelani.

Em 2019, Capivari registrou seis casos positivos da doença, sendo três no Santo Antônio (um deles com a confirmação de ser importado e outros dois em investigação), dois casos na Vila Fátima e um no bairro Castelani, também em fase de investigação.

Para conscientizar a população a respeito das medidas a serem tomadas no combate a proliferação do mosquito, uma nova ação do projeto “Xô Dengue – Nossa luta não pode parar” acontecerá no mês de fevereiro. Prevista para o dia 23, a mobilização consiste em uma força tarefa que percorrerá os bairros, levando orientação e fornecendo os repelentes nas redondezas das regiões afetadas. O primeiro local a receber a equipe será o bairro Santo Antônio.

“Mobilizamos todas as secretarias municipais para percorrer os bairros da cidade aos sábados e, juntos, atuarmos no combate à dengue. Mas, antes disso, já durante a semana, os agentes da Vigilância Sanitária percorrerão os bairros para fiscalizar e orientar os moradores. Contamos com o apoio da população, pois eliminar a água parada e pontos que possam virar criadouro do mosquito é o caminho mais efetivo de combate”, explica o prefeito, Rodrigo Proença.

ALERTA

A Secretaria da Saúde alerta a população da cidade sobre a infestação do vírus de sorotipo 2 da dengue e, portanto, a necessidade de constância na eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor desta doença e também da chicungunya e do vírus zika.

De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado, o sorotipo 2 da dengue tende a provocar casos clinicamente mais graves da doença em pacientes anteriormente infectados com outros sorotipos. Capivari não está entre os municípios que têm circulação deste sorotipo 2, entretanto, em cidades da região, como Piracicaba, que fica a 35 quilômetros de distância, o sorotipo está circulando. As informações são do DRS (Departamento Regional de Saúde) X, no qual Capivari está inserido.

“Para o vírus do tipo 2 chegar em Capivari basta, por exemplo, que uma pessoa viaje a uma cidade que já tem o vírus e seja picada pelo Aedes que está com este tipo 2. Ao retornar a Capivari, se ela estiver no período de transmissão do vírus, que começa um dia antes do aparecimento da febre e vai até o sexto dia da doença, e um mosquito Aedes da cidade picá-la e se contaminar, já teremos, então, Aedes contaminado com tipo 2 na cidade”, explica Simoni Pacheco, diretora do Departamento de Vigilância em Saúde.

Ela comentou, ainda, que no mosquito, após um repasto de sangue infectado, o vírus vai se localizar nas glândulas salivares da fêmea do mosquito, onde se multiplica depois de oito a 12 dias de incubação.

“Não temos casos do tipo 2 em Capivari e por isso é de extrema importância que as pessoas se conscientizem do quanto é fundamental eliminar constantemente qualquer coisa que acumule água parada, que é o que serve de criadouro para o Aedes aegypti”, disse Simoni.

XÔ DENGUE – Capivari não teve nenhum caso confirmado de dengue em 2018. Desde 2016, o número de notificações da doença viral transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti diminui no município, mas o prefeito da cidade, Rodrigo Proença, ressalta a necessidade de serem permanentes os cuidados para evitar que criadouros do mosquito Aedes existam.

“Zeramos os casos de dengue em Capivari em 2018, mas não podemos nos acomodar. O trabalho tem que continuar, tanto do poder público, limpando as áreas públicas, quanto da população em geral, cuidando dos espaços particulares, porque a saúde é para todos”, afirma.

Para evitar criadouros do mosquito da dengue é necessário:
Área interna de casas e apartamentos:
– Manter calhas sempre limpas;
– Deixar garrafas sempre viradas com a boca para baixo;
– Manter lixeiras bem tampadas;
– Deixar ralos limpos e com aplicação de tela;
– Eliminar pratos de vasos de plantas;
– Limpar com escova ou bucha os potes de água para animais;
– Tampar tonéis e caixas d’água

Área externa de casas e condomínios:
– Limpar ralos e canaletas externas;
– Cobrir e fazer manutenção periódica de áreas de piscinas e de hidromassagem;
– Deixar bem esticadas lonas usadas para cobrir objetos, evitando o acúmulo de água
– Não jogar lixo em terrenos vazios e áreas verdes

Fonte: Prefeitura de Capivari

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui