Vereadores criticam gestão da Santa Casa

Vereadores criticam gestão da Santa Casa

Oposição usou a Tribuna Livre para alertar dos problemas do hospital; situação ressaltou que prefeitura trabalha para melhorar atendimento


Críticas e muitos questionamentos colocaram em cheque a administração da Santa Casa de Capivari durante a 6ª reunião ordinária da Câmara dos Vereadores de Capivari, realizada na segunda-feira, 13. Entre os principais temas do embate político esteve as constantes demoras no atendimento no pronto socorro bem como a falta de empenho dos médicos em prestarem um atendimento mais humanizado aos munícipes de Capivari e região que necessitam do Sistema Único de Saúde (SUS).

No uso da Tribuna Livre, o vereador Mateus Scarso (PMDB) alertou pelos constantes dias em que há demora no atendimento no pronto socorro, além de clamar por uma melhoria na recepção dos pacientes. “Não é de hoje que vemos o mau atendimento na Santa Casa. Recentemente fique sabendo de pelo menos três casos graves atendidos no PS onde os pacientes receberam alta sem mesmo fazer um raio-x”, criticou.

Conforme contou Scarso, no último final de semana ele se encontrou com uma dessas pessoas mau atendidas pelos médicos da Santa Casa. “Encontrei com esta pessoa no domingo após ela receber alta. O motivo da sua ida ao pronto socorro foi devido a um choque que teve na cabeça durante um jogo de futebol que o deixou com grande parte da sua face inchada devido a pancada. Segundo ele, o médico plantonista apenas receitou algumas injeções para amenizar a dor e o liberou. Ainda hoje (segunda-feira, 13), ao chegar para o trabalho, seu chefe viu a situação e o encaminhou para um pronto socorro da região até chegar em Campinas, onde foram realizados todos os exames, inclusive tomografia, para o diagnóstico de fraturas no rosto. Casos como esses não deveriam ser comuns, é necessário que a Santa Casa reavalie sua forma de atendimento”, disparou.

Em defesa da Santa Casa, o vereador Flávio de Carvalho (PSDB) reforçou que com a atual situação econômica do país – e que se reflete na região – houve muitas demissões e assim, com o grande número de pessoas saindo dos convênios médicos, o SUS acaba ficando sobrecarregado. “Além disso, precisamos parar para pensar: se um médico erra a culpa é do prefeito?”, indagou. E prosseguiu: “Recentemente consultei o deputado federal Carlos Sampaio (PSDB) e ele me garantiu que tem mais de R$ 900 mil disponíveis para a Santa Casa, mas não é possível o repasse da verba pelo governo federal porque o hospital não tem certidão negativa de débito. Não podemos perder essa verba”, defendeu.

De outro lado, o vereador Eliseu Serrano (PR) disse que a demora no atendimento na Santa Casa o deixou nervoso no último final de semana. “Eu fui vítima desta demora. Cheguei muito mau no PS do hospital pouco depois das 9 horas da manhã e fui atendido somente ao meio dia. Nesta minha espera percebi que apenas um dos dois médicos plantonistas estava atendendo, o que me revoltou ainda mais”, criticou.

Também durante o uso da Tribuna Popular, o vereador Guacyro Justino Alfredo (DEM) – que é médico – defendeu a categoria e a administração da Santa Casa. “É notório que o hospital passa por dificuldades, assim como outros em vários estados do país, mas a prefeitura e os administradores da Santa Casa estão trabalhando para melhorar toda esta situação”, disse.

Ainda, conforme explicou o parlamentar do DEM, ele não houve negligência do atendimento no caso citado por Scarso, porém é difícil de se explicar uma demora ou um erro no diagnóstico. “Médico não pode errar, mas é preciso levar estas situações a comissão do hospital e ver se houve negligência por parte do médico para assim ver qual seria uma punição, se esse fosse o caso. Quanto ao Raio-X da Santa Casa não tenho informações de que não esteja funcionando ou esteja quebrada. Vou investigar. É importante lembrar que em muitos plantões também não há um médico especialista em traumas para avaliar o exame, e é um problema que enfrenta várias unidades de saúde Brasil afora”.

Em resposta a Eliseu Serrano, Dr. Guacyro afirmou que o motivo da demora no seu atendimento é até fácil de explicar. “Existe um sistema de atendimento que classifica a gravidade de cada paciente e, como podemos ver, o vereador está com uma forte gripe, ou seja, os casos mais graves foram atendidos com prioridade”, enfatizou.

O presidente da Câmara, Bruno Barnabé (PMDB), também defendeu a Santa Casa e ressaltou que a Câmara é vigilante quanto aos problemas citados. “É preciso fiscalizar o uso do hospital por pacientes de cidades da região”, motivo pelo qual a moção de apelo nº 04/2017, de sua autoria, solicita o envio de recursos financeiros para a Santa Casa de Capivari. “Queremos que cada um faça a sua parte, tanto prefeitos quanto vereadores. É necessário que seja pago pelos serviços prestados, nada a mais nem a menos, só o justo. Padre Adalton já fez o levantamento do custo per capita para o atendimento de cada paciente na Santa Casa, agora basta ver o melhor jeito de se aplicar essa tabela de cobrança”, completou. Barnabé também inteirou: “Também não sei nada sobre o não funcionamento do raio-x, por isso verificar a situação deste atendimento”, concluiu.

OUTROS ASSUNTOS – Ainda na reunião foi entregue a moção de congratulações nº 03/2017, de autoria do vereador Nelson Soares (PR), com dos demais pares, aos pastores Israel de Lima e Raimundo Soares, pelo envolvimento dos pastores na construção de uma nova igreja Assembleia de Deus no bairro Paineirinha. Soares também criticou a falta de investimento em infraestrutura nos bairros Santa Rita e Paineiras. “São mais de 20 obras simples que podem ser feitas pela prefeitura, no entanto, ainda nada foi feito e vou cobrar”, disse.

Mateus Scarso (PMDB) enalteceu projeto da Igreja do Evangelho Quadrangular que reverteu diversos quilos de alimentos a entidades sociais da cidade e cobrou a prefeitura da elaboração de um projeto conjunto com o Estado para a instalação de um AME em Capivari. “Existem pelo menos três cidades do porte de Capivari com unidade como esta em operação”, enfatizou.

Denilton Rocha (PMDB) pediu ao prefeito Rodrigo Proença (PSDB) que analise melhorias no atendimento do transporte público no bairro Castelani “onde várias pessoas vieram reclamar do serviço” e cobrou também mais agilidade para o início da reforma do prédio do Museu “que não mostra evolução e o prédio que está deteriorado”.

Na abertura da reunião ordinária, o novo comandante do Tiro de Guerra (TG 02-021) de Capivari, o sub-tenente do Exército Brasileiro Jailton Cordeiro, agradeceu a receptividade da cidade e cobrou apoio da população, prefeitura e câmara, nas festividades de aniversário do TG que neste ano completa 100 anos de atividade na cidade.

Sobre o autor

Felipe Poleti

FELIPE POLETI (MTB 51.222) é jornalista formado no Instituto Social de Ciências Aplicadas de Limeira (ISCA). Em 13 anos na profissão ja atuou como assessor de imprensa nas prefeituras das cidades de Capivari e Mombuca, além de ter atuado como assessor do deputado federal João Herrmenn Neto (in memoriam). Como repórter já trabalhou em rádio FM e televisão aberta local na cidade de Araras; em jornal impresso foi editor-executivo, revisor, repórter em diversos setores no diário Jornal A Tribuna Piracicabana e nos semanários A Tribuna de Rio das Pedras, A Tribuna de São Pedro e também no Semanário “Santa Teresinha”, em Piracicaba. Hoje atua como jornalista freelance, articulista, editor em sites, jornais impressos, revistas e redes sociais, além de assessoria política.

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Ad2